Dia Mundial de Combate a Tuberculose


Dia Mundial de Combate à Tuberculose é um alerta para cuidados contra a doença
Especialista reforça os cuidados com a doença e a importância de não abandonar o tratamento

No dia 24 de março, é celebrado o Dia Mundial de Combate à Tuberculose. A data criada em 1982 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) homenageia os 100 anos do anúncio do descobrimento do bacilo causador da tuberculose, ocorrida em 24 de março de 1882, pelo médico Robert Koch. Apesar de mais de 43 milhões de vidas tenham sido salvas no mundo por meio de diagnóstico e tratamento efetivo, entre os anos de 2006 e 2015 a tuberculose está entre as doenças infecciosas que mais matou no Brasil, segundo relatório divulgado pela OMS.

Segundo o pneumologista do Hapvida Saúde, Jorge Benevides, é importante reforçar que o abandono do tratamento haverá a falência e resistência aos medicamentos utilizados. “Se o tratamento for interrompido, pode levar à necessidade de troca de medicamento para um mais forte e um prolongamento da terapia por um ou até dois anos”, reforça o especialista.

A tuberculose é uma doença causada pelo bacilo de Koch, que destrói o pulmão, podendo ser disseminadas para outras partes do corpo, tais como ossos, meninges, órgãos genitais e rins. Nos infectados, os sintomas mais frequentes são a perda de peso, revelando um emagrecimento, febre baixa, que se apresenta mais ao fim do dia, tosse que se estende por mais de três semanas. “Entretanto, alguns pacientes não exibem nenhum sintoma perceptível da doença, mas apresentam fraqueza e cansaço excessivo, que também devem ser avaliados por médicos”, pondera o pneumologista.

Cura total em até seis meses – O tratamento da tuberculose é feito à base de antibióticos e é eficaz desde que seja feito corretamente, sem abandonar os cuidados necessários ou a medicação. “Alguns pacientes sentem os efeitos colaterais da medicação e apresentam enjoos, indisposição e mal-estar geral, mas, ainda assim, é fundamental que o tratamento não seja interrompido. Seguindo corretamente as orientações e cuidados da terapia, em seis meses obtém-se cura total”, reforça Benevides.

Alguns grupos estão mais vulneráveis a adquirir a doença, tais como portadores de doenças que debilitem o sistema imunológico (imunodeficiências) e pessoas que sejam dependentes de álcool ou outras drogas. Indivíduos que apresentem quadros de desnutrição também são consideradas grupos de risco. Por isso, algumas medidas de prevenção são fundamentais para evitar a doença. A primeira das recomendações de prevenção seria fazer a vacina da tuberculose (BCG) até os 30 dias de nascido, ou o mais rápido possível durante a infância. De acordo com o especialista, hábitos de vida mais saudáveis também são formas de prevenção. “Se alimentar bem, evitar ambientes aglomerados e com pouca ventilação são formas de evitar o contágio da doença”, destaca o médico.

Benevides ainda alerta: quando apresentar alguns dos sintomas, é fundamental procurar atendimento médico e, sobretudo, evitar a automedicação. “É preciso realizar o raio X do tórax para obter o diagnóstico correto, além de alguns exames laboratoriais, para, assim, indicar o melhor tratamento e a melhor medicação”, reforça.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gosta de abacaxi? Saiba quais são os benefícios da fruta para o organismo

A vida pede atitude. Movimente-se