Instagram

Seguir por Email

sexta-feira, 24 de março de 2017

Dia Mundial de Combate a Tuberculose


Dia Mundial de Combate à Tuberculose é um alerta para cuidados contra a doença
Especialista reforça os cuidados com a doença e a importância de não abandonar o tratamento

No dia 24 de março, é celebrado o Dia Mundial de Combate à Tuberculose. A data criada em 1982 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) homenageia os 100 anos do anúncio do descobrimento do bacilo causador da tuberculose, ocorrida em 24 de março de 1882, pelo médico Robert Koch. Apesar de mais de 43 milhões de vidas tenham sido salvas no mundo por meio de diagnóstico e tratamento efetivo, entre os anos de 2006 e 2015 a tuberculose está entre as doenças infecciosas que mais matou no Brasil, segundo relatório divulgado pela OMS.

Segundo o pneumologista do Hapvida Saúde, Jorge Benevides, é importante reforçar que o abandono do tratamento haverá a falência e resistência aos medicamentos utilizados. “Se o tratamento for interrompido, pode levar à necessidade de troca de medicamento para um mais forte e um prolongamento da terapia por um ou até dois anos”, reforça o especialista.

A tuberculose é uma doença causada pelo bacilo de Koch, que destrói o pulmão, podendo ser disseminadas para outras partes do corpo, tais como ossos, meninges, órgãos genitais e rins. Nos infectados, os sintomas mais frequentes são a perda de peso, revelando um emagrecimento, febre baixa, que se apresenta mais ao fim do dia, tosse que se estende por mais de três semanas. “Entretanto, alguns pacientes não exibem nenhum sintoma perceptível da doença, mas apresentam fraqueza e cansaço excessivo, que também devem ser avaliados por médicos”, pondera o pneumologista.

Cura total em até seis meses – O tratamento da tuberculose é feito à base de antibióticos e é eficaz desde que seja feito corretamente, sem abandonar os cuidados necessários ou a medicação. “Alguns pacientes sentem os efeitos colaterais da medicação e apresentam enjoos, indisposição e mal-estar geral, mas, ainda assim, é fundamental que o tratamento não seja interrompido. Seguindo corretamente as orientações e cuidados da terapia, em seis meses obtém-se cura total”, reforça Benevides.

Alguns grupos estão mais vulneráveis a adquirir a doença, tais como portadores de doenças que debilitem o sistema imunológico (imunodeficiências) e pessoas que sejam dependentes de álcool ou outras drogas. Indivíduos que apresentem quadros de desnutrição também são consideradas grupos de risco. Por isso, algumas medidas de prevenção são fundamentais para evitar a doença. A primeira das recomendações de prevenção seria fazer a vacina da tuberculose (BCG) até os 30 dias de nascido, ou o mais rápido possível durante a infância. De acordo com o especialista, hábitos de vida mais saudáveis também são formas de prevenção. “Se alimentar bem, evitar ambientes aglomerados e com pouca ventilação são formas de evitar o contágio da doença”, destaca o médico.

Benevides ainda alerta: quando apresentar alguns dos sintomas, é fundamental procurar atendimento médico e, sobretudo, evitar a automedicação. “É preciso realizar o raio X do tórax para obter o diagnóstico correto, além de alguns exames laboratoriais, para, assim, indicar o melhor tratamento e a melhor medicação”, reforça.


terça-feira, 21 de março de 2017

Em tempos de carne fraca veja opções


Nutricionista indica opções para quem deseja seguir uma dieta livre de carne após descoberta de suposto esquema de corrupção envolvendo empresas do setor alimentício

Muitos brasileiros que já estavam pensando em diminuir ou até mesmo cortar o consumo de carne de origem animal ganharam um incentivo extra recentemente. Trata-se da deflagração da Operação Carne Fraca, organizada pela Polícia Federal, que investiga empresas do setor alimentício envolvidas em um esquema de corrupção que liberava a comercialização de alimentos produzidos por frigoríficos sem a devida fiscalização sanitária.

Indícios do inquérito revelaram que carnes eram vendidas fora do prazo de validade, misturadas com papelão e até com substâncias cancerígenas. Porém, diante da magnitude do problema, aparece o seguinte questionamento: Como substituir o alimento sem perder as proteínas? A nutricionista Cyntia Maureen, consultora da Superbom, empresa alimentícia especializada na fabricação de produtos saudáveis, sugere opções para uma substituição adequada e um cardápio variado. Confira:

Cogumelos
Os cogumelos são ricos em proteínas e uma ótima opção para substituir a carne, além de possuir nutrientes que estimulam o desenvolvimento do sistema imunológico. “Com 100 gramas de cogumelos prontos já conseguimos substituir as proteínas existentes em 100 gramas de carne vermelha. Mas vale lembrar que o ideal é que ele seja cozido ou assado com verduras e legumes, e não com molhos calóricos que possuem altos níveis de sódio”, recomenda a nutricionista. 

Vegetais
Alface, rúcula, couve, no momento de se escolher as folhas é recomendado a maior variedade possível, pois elas são ricas em água e fibras e contribuem também para que a proteína presente em outros alimentos seja melhor absorvida. “É muito importante consumi-las, seja cruas ou cozidas, pois elas irão oferecer nutrientes necessários para as futuras substituições, além de serem pouco calóricas. Brócolis, aspargos e vagem possuem uma boa quantidade de proteína que irá contribuir com a necessidade diária desse nutriente”, comenta a especialista.

Grãos
Incluir os grãos no cardápio é muito importante, pois eles também são ricos em proteínas. “O combo arroz integral e feijão, por exemplo, constitui uma ótima fonte, enquanto o arroz branco é muito pobre nesse nutriente. A quinoa também ganha destaque nos grãos por seu alto valor proteico e sua diversidade de consumo, podendo ser uma substituta do arroz ou consumida em flocos no iogurte. Para variar e colorir o prato escolha outros grãos como lentilhas, ervilhas e grão de bico que também oferecem fibras e ajudam a manter a sensação de saciedade. Um prato que possui esses grãos pode, oferecer proteína de boa qualidade incluindo alguns aminoácidos essenciais”, ressalta a consultora 

Laticínios
Os laticínios como leite e seus derivados, podem ser uma opção na dieta de quem cortou o consumo de carne, pois contém boa quantidade de proteínas e gorduras. Porém é importante atentar para a qualidade do tipo de laticínio. “Ao consumir, prefira versões desnatadas dos leites e as opções de queijos brancos, pois os amarelos são ricos em gordura saturada, sendo prejudiciais à saúde”, adverte Cyntia.

Pratos prontos e pré-cozidos
Além das opções in natura, os vegetarianos possuem à disposição diversas opções de produtos já prontos, que são práticos, saudáveis e, é claro, isentos da carne de origem animal. A Superbom conta uma linha de proteínas vegetais, como medalhão, almôndegas, hambúrguer, salsicha e escalope com o sabor muito similar das receitas tradicionais. Além da praticidade, pois alguns já são prontos e não precisam de nenhuma elaboração, apenas aquecer. Tanto as proteínas prontas das Superbom, como as pré-cozidas, não contam com aditivos químicos, corantes artificiais, colesterol e gordura trans.

Ovos
Por estar constantemente no cardápio, os ovos são aliados de quem deseja abandonar a carne vermelha ou praticar uma dieta ovolactovegetariana - aquela que abrange o consumo de derivados de leites e ovos. Um ovo de galinha possui 9 gramas de proteínas, além de conter vitamina B12, mas é bom se atentar ao preparo. “Para aproveitarmos todos os benefícios dos ovos é recomendado que sejam bem cozidos, para evitar contaminação por Salmonella. Ovos fritos em óleo, quando as bordas já estão ficando escuras, são ricos em gordura saturada e ativa o processo de perda e saturação das vitaminas”, finaliza.


quinta-feira, 16 de março de 2017

HCor promove curso de primeiros socorros e treinamento em parada cardíaca para público leigo


O treinamento vai orientar como se identifica uma vítima em parada cardiorrespiratória, além de manusear adequadamente o DEA (Desfibrilador Externo Automático), em situação de emergência

A cada um minuto e meio uma pessoa morre por doença cardiovascular e, a cada ano, cerca de 400 mil pessoas morrem de infarto no Brasil. As chances de sobrevivência são quatro vezes maiores quando alguém apto reconhece os sintomas, pede socorro ao serviço adequado (SAMU - Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), ou corpo de bombeiros e, principalmente, inicia as compressões torácicas (RCP - Reanimação Cardiopulmonar).

As situações de emergência podem ocorrer em qualquer lugar e com qualquer pessoa. E diante de uma parada cardiorrespiratória o que fazer e como agir? Pensando nisso, o HCor (Hospital do Coração), por meio do seu Instituto de Ensino, promove, no próximo dia 18 de março, um curso de primeiros socorros e treinamento em parada cardíaca. Idealizado pela AHA (American Heart Association) e destinado ao público leigo, o treinamento tem o objetivo de reduzir o número de óbitos decorrentes de eventos de emergências e ensina como enfrentar enfermidades e lesões nos primeiros minutos até a chegada da ajuda profissional. 

De acordo com a gerente de ensino do Instituto de Ensino do HCor, Maressa Ribeiro, o curso vai ensinar habilidades e noções básicas de primeiros socorros, atuação em emergências médicas (por ferimentos e relacionadas ao meio ambiente). “Durante o curso, os profissionais do Instituto de Ensino ensinarão o manuseio adequado do DEA (Desfibrilador Externo Automático), em situação de emergência com base em diretrizes internacionais da AHA (American Heart Association). O treinamento é rápido e vai orientar como se identifica uma vítima em parada cardiorrespiratória. Este aprendizado pode ser utilizado no futuro e fazer toda a diferença no auxílio a uma vítima”, esclarece Maressa Ribeiro.

DEA (Desfibrilador Externo Automático): você sabia que em locais de trabalho com concentração acima de mil pessoas ou circulação média diária de 3 mil ou mais pessoas como aeroportos, shopping centers, estádio de futebol, hotéis, casas de espetáculos, academias, clubes, entre outros é obrigatório manter, em suas dependências, o aparelho desfibrilador externo automático? Mas o que adianta ter o equipamento se não souber utilizá-lo em casos de emergência?

“Por isso, o público leigo pode contar com os cursos ministrados no Instituto de Ensino do HCor. Além do uso do DEA, as pessoas vão aprender compressões torácicas, além de técnicas de primeiros socorros em casos de dificuldades respiratórias, obstruções de vias áreas, reações alérgicas graves, ataque cardíaco, convulsões, choques, sangramentos visíveis e oculto, fraturas ósseas, queimaduras, intoxicação, mordidas e picadas, entre outros”, explica a gerente do Instituto de Ensino do HCor.

Massagem cardíaca pode salvar uma vida: a massagem cardíaca pode salvar a vida de uma vítima que aguarda ajuda médica. O procedimento pode ser aplicado por qualquer pessoa, mas nem por isso deve ser feito de qualquer maneira. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU -  192) explica qual é o passo a passo. “A massagem cardíaca deve ser feita num ritmo de 100 a 120 compressões por minuto (ou no mínimo 100 compressões por minuto). É uma técnica cansativa porque precisa de repetição. Portanto, a pessoa que faz a massagem tem que aguentar e não desistir até a chegada do socorro”, orienta.

Como fazer a massagem cardíaca?
Verifique se o local é seguro
Se a vítima não responder chame o serviço de emergência (192 ou 193)
Mantenha a vítima deitada no chão
Ajoelhe-se ao lado dela
Sobreponha as mãos e posicione-as em cima do osso do peito da vítima
Mantenha os braços esticados (nunca dobre os cotovelos)
Inicie a compressão do peito da vítima. Comprimir até uma profundidade de pelo menos cinco centímetros e permitir o retorno do tórax a cada compressão
Faça no mínimo 100 compressões por minuto
Minimizar as interrupções nas compressões
Realize compressões até a chegada do SAMU

Anote na agenda:
Curso de primeiros socorros e treinamento em parada cardíaca
Data: 18/03 (sábado)
Local: HCor (Hospital do Coração)
R: Abrão Dib, 40 - Paraíso
Horário: às 8h
Telefone: (11) 3053-6611 ramais 3365/3366 

quarta-feira, 15 de março de 2017

As ciladas das academias - conheça seus direitos


Acabou o verão, passou o carnaval e as academias estão em promoção para captação de alunos. A maioria das pessoas não toma certas precauções primárias quando contrata os serviços de uma academia de ginástica e o consumidor age por impulso na hora de escolher o estabelecimento.

            O advogado especialista em Direito do Consumidor, Sérgio Tannuri, listou algumas dicas para evitar dores de cabeça antes de fazer a matrícula numa academia: 

1º: Visitar as dependências da academia, de preferência durante o horário de pico, para ver se o local e os frequentadores são desejáveis;

2º:
 Pedir para ver o contrato a ser assinado. Se possível, submeta à apreciação de algum advogado conhecido para ver se não há cláusulas abusivas e multas excessivas;

3º:
 Escolher um plano de acordo com a sua conveniência de agenda. Têm planos que limitam a permanência do consumidor nas salas de exercícios ou nas piscinas;

4º:
 A academia pode exigir avaliação médica periodicamente, o que é perfeitamente legal. Por isso, é importante verificar se na cobrança da matrícula está incluso o preço do exame. Se for cobrado à parte e achar muito alto o preço cobrado, o aluno pode optar por fazer o exame médico com outro profissional de sua escolha e confiança;

5º:
 Guardar os folhetos da academia. Esse tipo de propaganda é uma garantia para o consumidor exigir o fiel cumprimento dos serviços que foram prometidos;
6º: A maioria dos estabelecimentos “fitness” possui um contrato padrão, que juridicamente é denominado "contrato de adesão", pois já vem com normas pré-estabelecidas. A mais polêmica cláusula que as academias insistem em impor aos seus alunos é a que prevê a não devolução do dinheiro do aluno, caso este venha a desistir no meio do plano. Isto é totalmente ilegal e deve ser denunciado!!!
         
“Na verdade, de acordo com o Código de Defesa do Consumidor, a academia pode até cobrar uma multa caso o aluno decida cancelar o seu plano contratual, para cobrir eventuais despesas administrativas do negócio. Porém, uma vez que não há nenhuma lei que preveja o percentual do que deve ser devolvido, a empresa deve optar pelo bom senso e cobrar uma multa razoável, que eu entendo que não deva ultrapassar 20% do valor do contrato. Além do mais, deve restituir ao consumidor imediatamente todos os cheques pré-datados remanescentes ou, se o pagamento foi à vista, reembolsar a quantia referente ao período restante de serviços não prestados. Por isso, defendo que a melhor forma de pagamento é o cartão de crédito, pois dá para cancelar as parcelas junto à administradora, enquanto os cheques podem ser repassados a terceiros (bancos, agiotas etc.)”, esclarece Dr. Sérgio Tannuri.


segunda-feira, 13 de março de 2017

Quantas calorias gastamos correndo?


*Por Dr. Turíbio Leite de Barros Neto 

          O gasto calórico nas diferentes atividades é um dos indicadores mais importantes da efetividade dos exercícios. Sua estimativa, quando feita com precisão adequada, fornece uma importante informação para a adequação da dieta, programas de perda de peso, além de quantificar a intensidade do exercício.

           Na Medicina do Trabalho, a mensuração do gasto calórico propicia a adequação da jornada, o número de pausas e a caracterização do grau de tolerância do trabalhador.

           A estimativa do gasto calórico da corrida já se tornou um hábito entre os corredores, e as esteiras rolantes mais modernas mostram no painel o gasto calórico aproximado para diferentes velocidades.

           O princípio fisiológico deste cálculo são padrões de referência da medida do consumo de oxigênio da corrida. O consumo de oxigênio reflete diretamente a produção de energia, ou seja, o gasto calórico. Quando consumimos 1 litro de oxigênio para “queimar” nossos substratos energéticos (principalmente gordura e carboidrato) produzimos cerca de 5 calorias.

           Quando corremos multiplicamos nosso consumo de oxigênio de repouso que é denominado MET. Este consumo é constante e equivale a 3,5 ml de oxigênio por quilo de peso corporal por minuto. Existe uma estimativa muito adequada de considerar que para cada km/h de velocidade de corrida gastamos 1 MET. Assim, quando corremos a 10 km/h de velocidade, o consumo de oxigênio é 10 vezes o repouso, ou seja, 10 MET.

            Para simplificar podemos usar uma regra prática que calcula quantas calorias por minuto estamos gastando ao correr, introduzindo duas variáveis: velocidade de corrida e peso corporal.  Com uma calculadora, faça o seguinte cálculo: GASTO CALÓRICO EM CALORIAS/ MIN = VELOCIDADE(KM/H) X PESO (Kg) x 0,0175.

            Para dar um exemplo, um indivíduo de 78 kg, correndo à uma velocidade de 8 km/h estará gastando:  8 x 78 x 0,0175 = 10,92 calorias por minuto. Uma corrida de 1 hora nesta velocidade terá portanto gastado 10,92 x 60 min = 637,2 calorias.

            É importante ressaltar que este cálculo é válido para a corrida no plano. Qualquer aclive ou declive no percurso altera este valor.
            Para quem costuma percorrer uma certa distância em cada treino, o cálculo do tempo permite a estimativa da velocidade média desenvolvida e assim fazer o cálculo do gasto calórico conforme a fórmula acima.

*Dr. Turíbio Leite de Barros é diretor e conselheiro científico da Midway Labs, marca internacional especializada em suplementos alimentares. O médico é Master PHD em fisiologia do exercício e membro do American College of Sports Medicine. Entre suas principais atividades, destaca-se a idealização do Centro de Fisiologia do Exercício do São Paulo Futebol Clube e a criação do Centro de Medicina Esportiva da UNIFESP – CEMAFE.

quinta-feira, 9 de março de 2017

Nutricionista alerta sobre mitos das dietas de emagrecimento

Saiba quais são os alimentos que efetivamente podem ajudar na luta contra a balança e as opções consideradas "milagrosas" para a perda de peso que não têm comprovação científica 

Para acertar o ponteiro da balança, o caminho é longo, e muitas pessoas apelam para as dietas extremamente restritivas, ou seguem alguma dica da moda, sem saber se ajudam efetivamente na perda de peso. A nutricionista do HCor – Hospital do Coração, Juliana Dantas, esclarece mitos e verdades do emagrecimento e aponta os reais benefícios dos alimentos na luta contra a balança.

Chá verdeVerdade: o chá possui diversos compostos bioativos que podem auxiliar na redução da gordura e do peso. No entanto, seu consumo deve ser associado à alimentação adequada e saudável, além da prática regular de exercícios físicos. “Não existe um consenso quanto à dose ideal e como consumi-lo. Há estudos que sugerem que o chá verde deve ser tomado entre as refeições, para não interferir no percentual de absorção dos nutrientes consumidos no almoço e no jantar”, comenta a nutricionista.

Chá de hibiscoParcialmente verdade: a planta medicinal auxilia a reduzir a retenção de líquido e do inchaço de membros superiores e inferiores, o que pode influenciar na redução do peso corporal. Porém, isso não quer dizer que o indivíduo emagreceu com o chá de hibisco, e sim que o chá reduziu a retenção hídrica.

GengibreMito: o gengibre apresenta componentes que poderiam ocasionar aumento da termogênese, ou seja, acelerar o metabolismo. No entanto, são necessários mais estudos para avaliar os reais efeitos do alimento ao organismo.

Frutas cítricasMito: fonte de vitaminas e fibras, as frutas cítricas possuem antioxidantes, como flavonoides, compostos fenólicos, entre outros. “Em relação aos benefícios referentes ao emagrecimento, os estudos existentes são, ainda, muito limitados. Mais pesquisas seriam precisas para obter melhores conclusões”, explica Juliana.

Gojy BerryMito: a fruta é considerada saudável, pois possui propriedades antioxidantes e imunomoduladores. Embora não haja comprovação científica que relacione o uso da fruta ao emagrecimento, seu consumo pode ser feito como parte da alimentação para aqueles que apreciam seu sabor.

ChiaParcialmente verdade: a chia é rica em fibras, que retarda o esvaziamento gástrico e promove a saciedade. A nutricionista do HCor ressalta que frutas, hortaliças e cereais integrais são também importantes fontes de fibras alimentares. "Por ser um alimento com grande densidade calórica, ofertando cerca de 380 calorias por 100 gramas do alimento, seu consumo deve ser moderado", orienta Juliana.

segunda-feira, 6 de março de 2017

Arnold Sports Festival 2017 - Ohio - Resultados

Cedric McMillan vence o Arnold Classic 2017


Cedric McMillan da Carolina do Sul,  venceu o  prestigioso Arnold Classic pela primeira vez em 8 anos como alteta professional.
No ano passado McMillan ficou em segundo lugar, atrás de Kai Greene e vinha conquistando lugar dentre os Top 6 nos últimos 4 anos, em Columbus.

McMillan recebeu congratuacões do Gov. Arnold Schwarzenegger, cheque de  $130,000, uma jaqueta Tony Nowak oficial dos campeões e o troféu de campeão das mãos de Catherine Colle da Midway Labs USA e Jeff Howe da Optimum Nutrition.

McCarver,  de 25 anos, recebeu  $75,000 e  medalha da ROGUE Fitness e BSN, pelo segundo lugar.

Maxx Charles, de New York, ficou em terceiro lugar e recebeu  $50,000 de Muscle & Fitness Magazine e The Columbus Dispatch. Charles ficou em setimo lugar no Arnold Classic em 2016.

Lionel Beyeke da França,  ficou em quarto e recebeu $30,000 de Universal e Ultimate Nutrition. Esta foi a sua melhor das 3 aparições  no Arnold Classic.

Juan “Diesel” Morel de New York foi o quinto colocado e recebeu $15,000 de  Rule One Proteins e Complete Nutrition. Morel ficou em sexto lugar em sua estreia no  Arnold Classic em 2016.

Fouad “Hoss” Abiad do Canada, comepetiu pela quarta vez e ficou este ano em sexto lugar. Ele recebeu $10,000 de Muscle Egg e Generation Iron. Em 2013 ele ficou em décma colocação.

Foto: Oliver Hamlin
No.
NAME
COUNTRY
page1image12832
RD1
page1image14656
RD2
RD3
page1image16616
TOTAL
PLACE
1
Lionel Beyeke
France
22
23
21
66
4
2
Luke Sandoe
United Kingdom
page1image32224
40
page1image33880
40
40
page1image35504
120
8
3
Dallas McCarver
USA
10
10
10
30
2
4
Will Harris
USA
50
50
50
150
10
5
Michael Lockett
USA
34
35
35
104
7
6
Vitaly Fateev
Russia
45
45
45
135
9
7
Juan Morel
USA
page1image78104
23
page1image79760
21
24
page1image81384
68
5
8
Fouad Abiad
Canada
page1image87280
31
page1image88936
30
30
page1image90560
91
6
9
Cedric McMillan
USA
page1image97472
5
page1image98832
5
page1image100664
5
15
page1image102888
1
10
Maxx Charles
USA
15
18
15
48
3
page1image114408 page1image115320 page1image116216 page1image117424
page1image125384

Foto: Oliver Hamlin

Brasileira  Angelica Teixeira vence o  Bikini International 2017


Angelica Teixeira, natural do Brasil que vive em  New Jersey, venceu o  Bikini International. A maior vitória dela na curta carreira como atleta IFBB Pro League.

Teixeira recebeu congratulações do Gov. Arnold Schwarzenegger, $7,000, a jaqueta oficial dos campeões  Tony Nowak e o troféu de campeã das mãos de Catherine Colle, da  Midway Labs USA e Jeff Howe da Optimum Nutrition. Teixeira ficou em quarta colocação em sua estreia no Bikini International em 2016.

     Top 6:
  • 2o Lugar Courtney King de Chicago, recebeu $3,000 e um troféu de ROGUE Fitness e Ultimate Nutrition.
  • 3o Lugar: Jennifer Ronzitti de  Severna Park., recebeu $2,000 e um troféu de ROGUE de Jan Tana e BSN.
  • 4o Lugar: Janet Layug da Flórida., recebeu $1,000 e um troféu de ROGUE Animal e MHP.
  • 5Lugar:  India Paulino da Filadelfia, recebeu $1,000 e um troféu de ROGUE Muscle Egg e SBD Apparel.
  • 6o Lugar:  Justine Munro do Canada recebeu $1,000 e um troféu de ROGUE Cytosport e Allmax.
Foto: Oliver Hamlin





Ryan Terry vence o  Arnold Men’s Physique

Ryan Terry da Inglaterra superou 35 competitdores  para vencer o  Arnold Classic Men’s Physique . A maior conquista em sua carreira de três anos como atleta IFBB Pro League. Terry recebeu congratulações do  Gov. Arnold Schwarzenegger, $5,000, uma Tony Nowak – jaqueta oficial dos campeões e o troféu  das mãos de Jeff Howe da Optimum Nutrition e Catherine Colle da Midway Labs USA. Terry ficou em quarto lugar no ano passado.

    Top 6:
  • 2o Lugar: Andre Ferguson recebeu $2,000 e um troféu de ROGUE Fitness e Muscle & Fitness Magazine.
  • 30 Lugar: Brandon Hendrickson de Illinois,  recebeu $1,500 e um troféu de  The Columbus Dispatch e Complete Nutrition.
  • 4Lugar George Brown of Columbus, Ohio recebeu $1,500 e um troféu de  Ultimate Nutrition e Generation Iron.
  • 5o Lugar: Jeremy Potvin recebeu $1,000 e um troféu de  Rule One Proteins e VPX.
  • 6Lugar: Raymont Edmonds recebeu $500 e um troféu de  Rivalus e Animal.
                                             Foto: Oliver Hamlin

page2image66200 page2image66624 

                                3rd Arnold Strongman Classic Crown


Brian Shaw de Lupton, ganhou  o seu terceiro  título Arnold Strongman Classic este ano.
Pela vitória Shaw recebeu congratulaçôes de Arnold Schwarzenegger, 72 mil dólares e
o Louis Cyr Trophy.
Bjornsson recebeu  22 mil dólares pelo segundo lugar.
Shaw também venceu o Arnold Strongman Classic em 2015 e 2011.
Zavickas, que não competiu este ano tem o recorde de 8 títulos. Derek Poundstone é outro  atleta que já venceu esta competição  mais de uma vez, ganhando o Cyr Trophy em 2009 e  2010.

Veja classificação completa:
  • 3o Lugar  (39.5 pontos): Jerry Pritchett do Arizona, recebeu $17,000
  • 4o Lugar (31): Mateusz Kielszikowski da Polônia, recebeu $12,000
  • 5o Lugar (29): Mikhail Shivlyakov da Russia, recebeu $10,000
  • 6o Lugar (25): Vytautas Lalas da Russia, recebeu $7,000
  • 7o Lugar (22.5): Dimitar Savatinov da Bulgária recebeu $6,000
  • 8o Lugar (20.5): Martins Licis dos Estados Unidos, recebeu $4,000
  • 9o Lugar (12.5): Zach Hadge dos Estados Unidos, recebeu $3,000
  • 10o Lugar (3): Krzystof Radzikowski da Polônia, recebeu $2,000
                                                              Foto: Lauren Bacho
             

                         Ahmad Ashkanani campeão do  Arnold Classic 212



Ahmad Ashkanani do Kuwait, que se tornou professional em 2016 Arnold Classic Australia Amateur e terminou em segundo lugar no  Olympia 212 Showdown, 2016 venceu o  Arnold Classic 212 na sua estreia em Columbus. Ashkanani recebeu o troféu de campeão das mãos de Arnold Schwarzenegger, um cheque de  $22,000, uma Tony Nowak oficial dos campeões e congratulações do Dr. Rafael Santonja da IFBB International e Jim Manion IFBB Pro League.

     Top 6:
    * 2o Lugar  David Henry de  Massachussets,  recebeu $10,000 e uma medalha da Midway Labs USA e Optimum Nutrition. 
   * 3o Lugar: Jose Raymond de  Massachussets, recebeu $6,000 e uma medalha   da MHP e Ultimate Nutrition. 
   * 4o Lugar: Guy Cisternino de New Jersey, recebeu $4,000 e uma medalha da Ricart Automotive e the Columbus Dispatch. 
   * 5o Lugar: Zane Watson do Canadá, recebeu $2,000 e uma medalha da Laura’s Lean Beef e Nutrex. 
   * 6o Lugar: Hidetada Yamagishi do Japão, recebeu $1,000 e uma medalha da Ricart Automotive e Gold’s Gym. 
                                                     Foto: Lauren Bacho
                                                         

                  Candice Lewis-Carter leva o título de Figure International



Candice Lewis-Carter do Arizona, ganhou a maior vitória de sua carreira vencendo o prestigioso Figure International. Cydney Gillon de Atlanta, foi a segunda pelo segundo ano consecutivo. Lewis-Carter recebeu o troféu de campeã das mãos de Arnold Schwarzenegger e $16,000, uma Tony Nowak – jaqueta official dos campeões e congratulações de Optimum Nutrition e Midway Labs USA.

      Top 6:
  •   2o Lugar: Cydney Gillon de Atlanta, recebeu $10,000 e um troféu da  ROGUE Fitness e Animal.
  •  3o Lugar:  Latorya Watts de Nevada., recebeu $8,000 e um troféu da  BSN e Jan Tana.
  •  4o Lugar: Camala Rodriguez do Colorado, recebeu $5,000 e um troféu da Ricart Automotive e  Columbus Dispatch.
  •  5o Lugar: Gennifer Strobo da Flórida, recebeu $3,000 e um troféu da  EAS e Body Fortress.
  • 6o Lugar: Heather Dees de Utah, recebeu $2,000 e um troféu da  Performix e Quest Nutrition.


                                                          Foto: Lauren Bacho
                 

Oksana Grishina Wins Fitness International pelo 4o ano seguido


Oksana Grishina da Califórnia,  venceu o prestigioso Fitness International pela quarta vez seguida e anunciou que será  sua última participação no Arnold Classic.
Grishina reebeu o troféu de campeã das mãos de  Arnold, um cheque de  $25,000, a jaqueta official dos campeões Tony Nowak e congratulações de Jeff Howe da Optimum Nutrition e Catherine Colle da Midway Labs USA.

        Top 6:
·      2o Lugar: Regiane Da Silva, brasileira residente na Alemanha, recebeu $13,000 e um troféu da  Ultimate Nutrition e ROGUE Fitness.
·      3Lugar: Whitney Jones do Arizona, recebeu $8,000 e um troféu da  Muscle & Fitness Magazine e Quest Nutrition.
·      4o Lugar: Bethany Wagner de New Jersey,  recebeu $5,000 e um troféu da  Nutrex eT he Columbus Dispatch.
 .   5o Lugar: Fiona Harris do Canadá, recebeu $3,000 e um troféu da  Gold’s Gym e Ricart Automotive.
·      6o Lugar: Ariel Khadr de Miami, recebeu $2,000 e um troféu da Laura’s Lean Beef e Allmax.

                                             Foto: Lauren Bacho

Dariely Castilho do Brasil vence o Women’s Physique International


Dariely Castilho brasileira,  em uma batalha de mais de 35 competidoras vence o Women’s Physique International. Castilho recebeu o troféu de campeã das mãos de  Arnold Schwarzenegger, $5,000, uma Tony Nowak Official Champions e congratulações de Jeff Howe da Optimum Nutrition e ROGUE Fitness.

            Top 6:
·      2o  Lugar:  Sheronica Henton recebeu $2,000 e um troféu de Midway Labs USA e Body Fortress.
3rd Lugar: Heather Grace recebeu $1,500 e um troféu de Animal and EAS.
·      4th Lugar e: Brooke Walter recebeu $1,000 e um troféu de BSN e Performix.
·      5th Lugar e: Autumn Swansen recebeu $1,000 e um troféu de Jan Tana e Columbus Dispatch.
·      6th Lugar: Rosela Joseph recebeu $500 e um troféu de Allmax e Ricart Automotive.