Instagram

Seguir por Email

segunda-feira, 28 de março de 2016

Leite é a principal fonte de cálcio para a saúde dos ossos

Muito tem se falado sobre o cálcio nos dias de hoje, mas a realidade é que este mineral é fundamental para a manutenção da saúde, tanto em relação aos ossos quanto ao correto funcionamento do organismo. Mas  infelizmente não está sendo consumido de forma adequada pela população. A nutricionista Cynthia Antonaccio, da Equilibrium Consultoria, revela que a principal consequência da deficiência de cálcio é a osteoporose, uma condição que acomete principalmente mulheres e idosos e mais recentemente, crianças, adolescentes e adultos jovens.

O cálcio é o mineral mais abundante no corpo humano. Ele é um elemento responsável por cerca de 1 kg – 1,2 kg do peso corporal total de um adulto. Nos ossos, encontram-se cerca de 99% deste total e o restante circula no sangue, nos músculos e em outros tecidos. O cálcio é um mineral importantíssimo no organismo, pois cumpre uma série de funções vitais: na forma de hidroxiapatita, é a principal matéria-prima dos ossos, conferindo estrutura para o corpo; é indispensável no mecanismo de contração dos músculos; ajuda na comunicação entre as células e, além disso, é essencial para o funcionamento de enzimas que participam do processo de digestão (como a amilase).

“Hoje, há um consumo inadequado de alimentos fontes de cálcio, como o leite, que vem sendo substituído por refrescos e refrigerantes, explica a nutricionista”. Na dieta, o cálcio está presente em uma série de alimentos, tanto de origem animal como no leite e derivados, quanto vegetais como o brócolis, couve e gergelim. No entanto, uma porção de leite (200 ml), independentemente de ser desnatado, semidesnatado ou integral, contém 240 mg de cálcio e uma porção de couve refogada (42 g) contém aproximadamente 71 mg. Para um homem adulto, estas porções satisfariam 25% e 7%, respectivamente, das recomendações de ingestão diária de cálcio (1000 mg/ dia).

         A Pirâmide Alimentar Brasileira indica que adultos e crianças devem consumir 3 porções de lácteos diariamente, contribuindo para que sejam atingidas as recomendações de cálcio. Porém, esta não é a única razão para o incluirmos este grupo de alimentos na nossa dieta. “O leite é fonte de proteínas de alta qualidade nutricional, que também tem função de fortalecer nosso sistema de defesa (imunoglobulinas); de carboidratos; de outros minerais além do cálcio, como o magnésio e o zinco, que participam de uma série de processos fisiológicos e bioquímicos no organismo com objetivo de manter o equilíbrio e bom funcionamento do corpo, além das vitaminas A e as do complexo B, que auxiliam na boa visão e na produção de energia”, revela Cynthia.

O leite é realmente a melhor fonte de cálcio pois é nele que encontramos este mineral da forma mais aproveitável para ser utilizado pelo nosso corpo. Você sabia que o tipo de alimento de onde se obtém o cálcio na dieta é um fator que interfere bastante na taxa de absorção devido ao tipo do sal de cálcio presente? “Apesar de conterem uma boa quantidade de cálcio, os alimentos de origem vegetal também contêm naturalmente fitato, ácido oxálico e fibras, fatores que podem inibir a absorção de cálcio, quando consumidos crus ou pouco cozidos. Um dado curioso: a biodisponibilidade do cálcio em feijões equivale a aproximadamente 50% e no espinafre a 10% da biodisponibilidade no leite. No leite, estes compostos inibidores da absorção são ausentes e, além disso, há evidências que sugerem que a presença de lactose (um tipo de açúcar) no leite facilita a absorção de cálcio” afirma Cynthia. Sabe-se que aproximadamente 70% do cálcio ingerido na dieta provêm do leite e de seus derivados.

 Leite na caixinha e nada mais!
Além de ser um alimento nutricionalmente completo, o leite longa-vida é uma escolha segura e higiênica para a família, que além de saboroso, pode fazer parte das refeições principais e lanches de diversas formas: puro, batido com frutas, ou em preparações como bolos e massas.  Cynthia ainda expõe que em 2014 o leite de caixinha, esteve presente em 86% dos lares brasileiros. Este produto passa por um processamento térmico e envase asséptico, o que permitem a eliminação de microrganismos. Além disso, conta com uma embalagem de alta qualidade com camadas que protegem o conteúdo do meio externo e que impedem que o “leite nosso de cada dia” seja exposto à luz e oxigênio,. Desse modo, consegue-se preservar além do sabor, a textura e aroma, os nutrientes presentes naturalmente no leite, sem necessidade de adição de conservantes.
        
Atualmente, existem variedades de leites longa-vida para agradar a todos os gostos e exigências: aqueles com menor teor de gorduras, mas sem alteração do conteúdo dos outros nutrientes (desnatado e semidesnatado); os com baixo teor de lactose (açúcar presente naturalmente no leite, que algumas pessoas podem ter dificuldades para digerir); e os enriquecidos com cálcio, ferro e vitaminas como A, D e E para aqueles que necessitam de um maior aporte destes nutrientes, como crianças e idosos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário