Exame oferece diagnóstico preventivo da osteoporose






A osteoporose afeta cerca de 10 milhões de brasileiros e deverá ser responsável por mais de 66 mil fraturas no quadril em 2015, de acordo com aAbrasso(Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo). A doença é caracterizada por baixa regeneração ou rápida reabsorção óssea, podendo ser causada por uma série de fatores e patologias. Para o diagnóstico da osteoporose, a Densitometria Óssea (D.O.) é considerada o exame padrão ouro.

A D.O. ou DEXA (densitometria por dupla emissão de RX) é um exame simples que pode ser realizado para avaliação e seguimento da massa óssea. As regiões geralmente estudadas são a coluna lombar e os fêmures, locais mais frequentes de fraturas por baixo impacto. O exame tem duração de aproximadamente 15 minutos e emite uma quantidade mínima de radiação, semelhante à de um dia ensolarado. 

De acordo com a médica radiologista Cristina Rossi, da Nova Medicina Diagnóstica, a ausência de sintomas faz com que, em muitos casos, a osteoporose somente seja diagnosticada após uma fratura. “Apesar de ser uma doença conhecida por grande parte da população, muitas pessoas ainda não têm uma consciência preventiva sobre o assunto. É muito importante que haja um trabalho de prevenção e diagnóstico precoce da osteoporose.”

Estima-se que a proporção entre homens e mulheres portadores da doença seja de um para seis a partir dos 50 anos e de duas para seis acima dos 60 anos. As mulheres sofrem mais com a osteoporose, mas o exame pode ser utilizado também para avaliar crianças e adolescentes com algumas doenças crônicas, uso contínuo de corticoides, entre outros.

Além de ser utilizado para diagnóstico das alterações de massa óssea, o equipamento de densitometria realiza também um exame para avaliação da composição corporal, que quantifica todos os compartimentos corporais (massa óssea, massa muscular e água, massa gordurosa). 

“O DEXA  consegue analisar com precisão a massa óssea, o percentual de massa magra e de gordura do organismo, emitindo um relatório pormenorizado desses valores para cada região do corpo, proporcionando um diagnóstico completo”, explica Cristina.

A médica ressalta que no DEXA, diferente dos demais métodos de avaliação da composição corporal, a água corporal faz parte do compartimento muscular (massa magra) e, portanto, o grau de hidratação não interfere na avaliação do porcentual de gordura.

O método tem sido muito utilizado nas avaliações de perda de massa magra relacionadas ao envelhecimento e especialmente em medicina esportiva, em programas de condicionamento físico e emagrecimento, pois auxilia esportistas e atletas das mais diversas modalidades a acompanharem o resultado de seus treinamentos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gosta de abacaxi? Saiba quais são os benefícios da fruta para o organismo

A vida pede atitude. Movimente-se