Dicas para o consumo adequado de chocolates durante a Páscoa


Com a proximidade da Páscoa, cresce a procura por ovos de chocolate, caixa de bombons e outras guloseimas associadas ao período. Nesta época do ano é difícil não desgustar pelo menos um pedaço de chocolate. Para as pessoas que estão preocupadas com a saúde e a estética, ou desejam manter um padrão alimentar adequado, mas que não abrem mão da guloseima, a nutricionista e diretora do Departamento de Nutrição da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP), Cibele Gonsalves, dá uma dica bem simples, mas eficaz. Conforme a especialista, na hora de comprar ovos de Páscoa, caixa de bombons, barras de chocolates ou outros produtos relacionados, é recomendado escolher os que tenham menor teor de gordura saturada. Ela salienta que a leitura dos rótulos é fundamental para uma escolha assertiva. 

A nutricionista alerta que devido ao valor calórico elevado, o consumo de chocolate deve ser feito com moderação, no máximo 30 g ao dia. "Quando consumido de forma consciente, o chocolate pode ser um aliado para a saúde, principalmente a do coração - afirma.

Cibele explica que o valor calórico entre os tipos de chocolate varia entre 400 a 500 calorias a cada 100 gramas, sendo o amargo o mais indicado para consumo, devido maior quantidade de cacau em sua composição, quando comparado ao chocolate branco, que é quase exclusivamente gordura e açúcar, sendo o consumo deste (em excesso) prejudicial à saúde.

"Os ovos classificados como meio amargo ou amargo apresentam entre 50% e 70% de cacau em sua composição, respectivamente. O cacau possui flavonoides, que exercem ação anti-inflamatória, antioxidante e cardioprotetora. Também auxiliam na redução da pressão arterial, das taxas de açúcar no sangue e do colesterol ruim". 

A nutricionista ressalta que quando adicionado aos ovos de Páscoa, oleaginosas como: avelãs, castanhas e amêndoas, embora mais calóricos, os produtos se tornam mais saudáveis do ponto de vista nutricional, pois as oleaginosas, possuem gorduras insaturadas que são cardioprotetoras, ou seja, benéficas ao coração. Ela ainda salienta que é importante ter atenção as versões trufadas e recheadas que deixam os ovos mais calóricos, sem um benefício nutricional agregado, como no caso do acréscimo das oleaginosas.

 Dicas que podem tornar a Páscoa mais saudável:
  • Para manter uma alimentação equilibrada, ao comer chocolate, evite o consumo de outros alimentos gordurosos, como por exemplo: frituras e carnes gordas;
  • Inclua nas refeições, frutas e verduras;
  • Abra um ovo de Páscoa por vez, dividindo-o em pedaços pequenos, limitando o consumo diário; evite o exagero;
  • Não deixe todos os ovos à vista, evitando assim a tentação de querer experimentar todos de uma só vez.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gosta de abacaxi? Saiba quais são os benefícios da fruta para o organismo

A vida pede atitude. Movimente-se