Antioxidantes: o que você precisa saber sobre eles em 5 tópicos


Os temidos radicais livres, que causam dano celular (favorecendo o aparecimento de rugas, flacidez e manchas) podem ser combatidos por meio de formulações com ativos antioxidantes; farmacêutica 
explica porque esses componentes são tão importantes para a saúde

Nunca se falou tanto em radicais livres e seus efeitos na pele. De forma resumida, os "radicais" são moléculas altamente reativas que podem provocar danos celulares, favorecendo o envelhecimento precoce, com aparecimento de rugas, flacidez de pele, manchas e perda de luminosidade. Para conter a ação deles, é recomendável o uso de ativos antioxidantes, como destaca Mika Yamaguchi, farmacêutica e diretora científica da Biotec Dermocosméticos. "O nosso organismo possui um sistema antioxidante endógeno. Ele mesmo se encarrega de combater os radicais livres. Contudo, por causa de um processo metabólico, nosso corpo produz mais radicais livres quando exposto aos raios UVA, UVB. Então, o organismo não dá conta do recado", explica. Por esse motivo, a farmacêutica alerta para o uso desses ativos, tanto por via tópica quanto oral, e cita cinco temas para você saber com o que está lidando. Confira abaixo:

Onde e como agem
Mika destaca que ação dos radicais livres ocorre em uma camada mais profunda da pele, que deve ser alcançada pelo antioxidante. "O ativo precisa ter boa permeação e biodisponibilidade, como o OTZ 10, que é uma oxitiazolidina capaz de chegar às camadas mais profundas e neutralizar a formação de radicais livres", afirma. Os antioxidantes podem ter duas ações, como prevenção - com neutralização dos radicais livres - e cura - neste caso, após os danos causados, o antioxidante diminui a concentração dessas moléculas e a inflamação no local, segundo a farmacêutica.

A partir de quando usar
É recomendável utilizar produtos com esses ativos desde a infância, isso porque as pessoas estão constantemente expostas à radiação. Mika indica que é importante usar filtro solar e hidratante pós-sol, ainda na infância. Pesquisas indicam que a produção de antioxidantes pelo organismo já começa a sofrer queda a partir dos 20 anos de idade, sendo necessária a utilização de produtos tópicos com antioxidantes. De forma geral, eles podem ser usados tanto durante o dia, quanto à noite. "É importante usar os produtos com os ativos, principalmente durante o dia, pois neste período temos uma geração maior de radicais livres, originária de diversas fontes", completa.

Os mais eficientes
Para Mika, os ativos mais clássicos são as vitaminas C e E, contudo, hoje existem outros componentes no mercado. "Nós temos antioxidantes inteligentes e com permeação e estabilidade maior. E há um ponto importante nos novos ativos - quando eles neutralizam os radicais livres geram um produto neutro, que pode ser naturalmente eliminado pelo organismo, processo que nem sempre acontece com o uso de vitaminas", defende a farmacêutica.

Uso tópico e oral
Mika alerta que nem sempre utilizar apenas um produto tópico é suficiente, em alguns casos, é necessário complementar o tratamento com um produto de uso oral, como Fosfolipídeos de Caviar, Bio Arct e Vitamina C. "Nós envelhecemos sistemicamente e precisamos que o organismo funcione de forma plena para manter o equilíbrio entre produção e degradação de colágeno", explica.

Fatores que influenciam na produção de radicais livres
Mika Yamaguchi cita dois fatores fundamentais que interferem no aumento de radicais livres, além de ativos antioxidantes eficazes para combatê-los. É preciso considerar questões como:

*Clima - Este fator possui forte impacto na escolha do produto, pois tanto no calor, quanto no frio, é necessário utilizar um sistema antioxidante potente. A radiação está presente em ambos os casos, mesmo que de forma distinta. Recomendação de uso - Alistin e OTZ 10 em formulação tópica.

*Alimentação - O consumo de alimentos industrializados contribui para aumento de radicais livres, gerando inflamação e outras espécies de radicais livres. Recomendação de uso - suplementação via oral com mix de antioxidantes como vitamina C, Glycoxil, Bio Arct e Fosfolipídeos de Caviar.

Mika destaca ainda que as pessoas que se protegem do sol e mantêm boa alimentação necessitam de menos dosagem de fórmula antioxidante, ou mesmo, uso dos ativos, apenas como prevenção. Contudo, no caso inverso, é preciso que o organismo tenha acesso a concentração maior dos ativos, que atuam de forma curativa e preventiva. Recomendação de uso - Anti OX Advanced, que combina Ascorbosilane C (antioxidante primário) + Vitamina E (manteiga de karité), que podem ser associados ao Alistin e OTZ 10.
 


Fonte: Biotec Dermocosméticos - empresa especializada em divulgar ao mercado de farmácias magistrais, área dermatológica e medicina estética, ativos e conceitos nutricosméticos e dermocosméticos inovadores.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gosta de abacaxi? Saiba quais são os benefícios da fruta para o organismo

A vida pede atitude. Movimente-se