Instagram

Seguir por Email

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Você sabe o que é o TDAH?



Entenda sobre o Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade, mais conhecido como TDAH, é uma desordem neurobiológica de causas genéticas que aparece na infância e frequentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida. Desatenção, dificuldades na escola e no relacionamento com colegas, pais e professores são alguns dos sintomas do transtorno na infância, que ocorre em 3% a 5% das crianças. Segundo a presidente da Associação Brasileira do Déficit de Atenção (ABDA), a Psicóloga e Psicanalista Iane Kestelman, nos jovens e adultos alguns dos sinais do transtorno são a inquietação, desatenção, impulsividade, dificuldades em avaliar o próprio comportamento, baixo rendimento acadêmico, entre outros.

O transtorno se caracteriza por três grupos de alterações: hiperatividade, impulsividade e desatenção. O diagnóstico é feito através de uma longa entrevista com um profissional médico especializado, que colhe a história de vida da pessoa (anamnese) geralmente com a ajuda dos pais (em crianças), do marido ou da mulher (em adultos).  De acordo com a presidente da ABDA, a existência da forma adulta do TDAH foi oficialmente reconhecida apenas em 1980, pela Associação Psiquiátrica Americana.

Uma das características do TDAH é a alta coincidência com outros transtornos, a chamada comorbidade. “Estima-se que até 70% das crianças e adultos apresentam outros transtornos simultâneos, como, por exemplo, transtornos do aprendizado, transtorno de conduta, tiques, pânico, fobia social, transtorno de ansiedade generalizada, transtorno bipolar e depressão”, explica Iane Kestelman.

Diversos estudos comprovaram que o TDAH tem origem em alterações na região frontal do cérebro, responsável por controlar ou inibir comportamentos inadequados, pela capacidade de prestar atenção, memória, autocontrole, organização e planejamento. São muitas as causas que supostamente são atribuídas ao transtorno, como predisposição genética, ingestão de nicotina e álcool durante a gravidez, problemas na gravidez ou no parto e intoxicação por chumbo. Também existe maior incidência de depressão, transtorno bipolar e abuso de álcool e drogas nos familiares de portadores de TDAH.

Segundo Iane, o tratamento adequado do transtorno é multimodal, com uma equipe que deve fazer parte do acompanhamento do paciente: “Essa equipe deve ser composta por médicos, psicólogos, psicopedagogos e fonoaudiólogos. Uma vez diagnosticado adequadamente por um profissional especializado no assunto, o adulto com TDAH pode ser eficientemente tratado. Na maioria dos casos, o tratamento é realizado através de medicamentos, psicoterapia cognitivo-comportamental e psicoeducação, que nada mais é do que educação continauda sobre o transtorno”.

Sobre a ABDA: A Associação Brasileira do Déficit de Atenção (ABDA) é uma associação de pacientes fundada em 1999 e sem fins lucrativos, com o objetivo de disseminar informações corretas baseadas em pesquisas científicas sobre o Transtorno do Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário