Exercício físico só no verão?


Veja os riscos que corre quem deseja aproveitar o tempo quente para tirar o atraso
Especialista dá dicas para evitar que a prática de atividades físicas se torne um problema


Com a chegada do verão, muita gente decide deixar o sedentarismo de lado e começar uma atividade física. Independentemente de qual seja o objetivo – emagrecer ou ter mais qualidade de vida –, a prática de qualquer esporte ou atividade requer uma supervisão médica. Segundo o Dr. Marcelo Paiva, cardiologista e coordenador do Centro de Cardiologia do Hospital 9 de Julho, o primeiro passo é procurar um cardiologista ou médico do esporte para fazer um check-up.

“Nem sempre o corpo dá sinais de que tem algum problema, por isso é tão importante fazer uma avaliação médica antes de começar qualquer atividade física. É preciso investigar se não há nenhuma alteração que possa se manifestar com a prática”, afirma Paiva, que complementa “se a pessoa já sofre com alterações da pressão arterial, arritmias cardíacas, ou problemas respiratórios, o médico deve ser informado sobre as alterações na rotina”.

Segurança
Outra dica do especialista é se atentar à segurança durante a prática dos exercícios. Quando eles forem feitos na rua, é preciso redobrar a atenção com buracos, inclinações do asfalto e, se for à noite, evitar lugares com pouca iluminação. Para quem for adepto do ciclismo, é importante não se esquecer dos equipamentos de proteção e segurança. “Os riscos de não se proteger durante atividades ao ar livre vão desde simples acidentes, até traumas físicos mais sérios”, alerta o médico.

Hidratação
Durante as atividades físicas, não deixe a hidratação de lado. Ainda mais durante o verão, que é quando as altas temperaturas facilitam a perda de líquido pela transpiração. “Se o organismo começar a sofrer pela falta de hidratação, o rendimento do exercício não será o mesmo e a pessoa pode ter mal-estar, o que pode levar ao desmaio”, alerta o médico.

Água, isotônicos e água de coco são os mais indicados para tomar durante e após as atividades. O ideal é ir ingerindo conforme for sentindo necessidade, sem exageros. Segundo o Dr. Paiva, a recomendação médica para o consumo diário de água baseia-se no seguinte cálculo: peso corporal x 0,03. Dessa forma, uma pessoa com 55 kg, deve beber cerca de 1,6 litro de água ao dia. Se ela pratica atividades físicas, o consumo aumenta de acordo com a intensidade e o tempo dos exercícios.

Nutrição
A alimentação é outro ponto que não pode ser deixado de lado. “Antes de um treino, é importante fazer um lanche leve, para não correr o risco de faltar energia durante a atividade”, salienta o especialista. Não é indicado sair para a rua ou academia em jejum, já que isso pode contribuir para uma queda de pressão, câimbras e fraqueza muscular durante as atividades.

“A alimentação no verão deve ser mais leve, mas não pode excluir nenhum grupo alimentar, como carboidratos, proteínas e gorduras. Eles são importantes para dar energia durante os exercícios e atuam em conjunto na reconstrução dos músculos. Em casos de dietas mais restritivas, um nutricionista deve ser procurado”, finaliza Dr. Marcelo.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

5 dicas de alimentação para 2017

Por que minhas dietas não funcionam?