Parece mas não é


Especialistas explicam porque alimentos queridinhos das dietas devem ser consumidos com moderação

Fazer dieta não é fácil, todo mundo sabe disso e, muitas vezes acabamos seguindo receitas malucas ou restritas. A maioria das pessoas em dieta prefere um suco à outra bebida, troca o jantar por uma sopa ou até mesmo investe no famoso suco verde. Mas será que isso está correto? Será que essa é a receita certa para o emagrecimento? Nem sempre. A endocrinologista Maria Fernanda Barca e a nutricionista Jacqueline Anversa explicam que existem muitos alimentos que parecem ser bons para o emagrecimento, mas na verdade, podem ser os vilões da sua dieta. Confira:

Água de coco: Muito consumida pelos brasileiros, a água de coco quando ingerida com frequência pode acabar interferindo na estabilidade da glicemia, o que prejudica o emagrecimento. Um copo de água de coco (250 ml) tem aproximadamente 50 kcal, pouca quantidade de fibras e alto teor de minerais, sendo assim, é ótimo para quem pratica exercícios de moderada a alta intensidade, porém para quem quer perder peso não é a melhor opção. “Além disso, a água de coco não oferece sensação de saciedade, devido ao baixo teor de fibras”, explica Maria Fernanda.

Suco verde: O nome do suco é verde porém, muitas pessoas acabam acrescentando diversas frutas no preparo e isso influencia o valor calórico do suco. Com isso, pode haver um excesso de frutose (açúcar da fruta) no suco, gerando problemas no emagrecimento devido ao excesso de calorias. O ideal é preparar o suco somente com folhosos e legumes verdes e acrescentar, no máximo, um suco de limão, pois é uma fruta pouco calórica. Veja essa receita: couve manteiga + pepino + ramos de salsinha + suco de limão.

Tapioca: Queridinhos das dietas, a tapioca não é tão saudável como acreditamos: é um alimento rico em carboidratos, pobre em fibras e proteínas e possui alto índice glicêmico (115). Mas o que isso significa?  “O índice glicêmico é um indicador da velocidade com que o açúcar presente em um alimento passa para a corrente sanguínea, aumentando a concentração de açúcar no sangue e estimulando a liberação de insulina. Isso pode estimular uma hipoglicemia de rebote: o nível do açucar no sangue baixa repentinamente ”, explica Jacqueline. Se compararmos uma tapioca à um pão frânces tradicional qual você escolheria? Uma tapioca pequena, de 50 g, possui 43 g de carboidrato e, praticamente zero de proteínas e fibras, totalizando 175 calorias. Já o pão francês tradicional, possui 150 calorias, porém contém maior quantidade de proteínas e fibras.

Sucos e Vitaminas: Trocar o refrigerante pelo suco pode ser uma boa opção, desde que seja consumido com moderação. Maria Fernada explica que os sucos podem ser uma alternativa ruim para o emagrecimento pois eles são ricos em frutose - o açúcar da fruta - e também são um alimento de alto índice glicêmico, ou seja elevam a glicêmida do sangue de forma abrupta, fazendo com que haja maior liberação de insulina pelo pâncreas. “Esse processo a médio e longo prazos pode trazer riscos à saúde com uma resistência à insulina e até mesmo diabetes”, afirma a endocrinologista.

As vitaminas também possuem um índice glicêmico alto e, por isso, devem ser evitadas. Mesmo assim ainda existem algumas vitaminas que, se ingeridas na quantidade e frequência certa (cerca de dois copos por semana), podem ser boas para o organismo. “ A vitamina do abacate é um bom exemplo, pois é uma fruta rica em gorduras monoinsaturadas, ou seja, gorduras boas e não é uma fruta de alto índice glicêmico. Mesmo assim, o mal uso (excesso), também pode levar ao ganho ou estagnação do peso”, explica Jacqueline.

Sopas: Normalmente, pessoas que buscam o emagrecimento, pensam de cara em ficar tomando sopa no almoço e jantar, porque dizem que ajuda no processo. O que ninguém conta é que existe uma proporção de nutrientes que precisam estar presentes em cada porção. Uma sopa equilibrada deve conter: carboidrato, como por exemplo, macarrão, batata, arroz ou mandioquinha, vegetais, como repolho, couve, cenoura, brócolis e vagem, proteína, como carne vermelha ou branca ou ovos. Segundo Jacqueline a sopa, mesmo completa, apresenta um problema: no momento em que colocamos o liquido no prato não conseguimos mensurar as quantidades exatas de cada nutriente e acabamos comendo muito mais carboidrato do que proteína, por exemplo. “Repetidas vezes, essa alimentação pode resultar no aumento ou estagnação do peso”, explica a nutricionista.

Frutas em excesso: Frutas são alimentos saudáveis e sempre estão presentes em dietas, mas é preciso atenção: não é por que é fruta, que devemos comer o quanto quisermos ! A recomendação do consumo de frutas é de 3 a 5 porções ao dia. Porém, durante o emagrecimento, o ideal é optar pelo mínimo: 3 porções ao dia. Isso se deve ao fato de cada porção possuir, em média 70 kcal, ou seja, é preciso maneirar na quantidade ingerida, para não somar muitas calorias. Outro ponto, é a questão da fome: utilizar fruta no lanche da manhã, da tarde ou da noite, não supre, em boa parte das vezes, a nossa fome, fazendo com que a vontade de abusar, seja maior. “O ideal é incluir essas 3 porções de frutas nas refeições grandes: café da manhã, almoço e jantar” , diz a nutricionista.


Nutricionista: Dra. Jacqueline Moniz AnversaBacharelado em Nutrição pela Universidade São Judas Tadeu, Aprimoramento pela Universidade São Judas Tadeu, Pós Graduanda em Nutrição Esportiva Funcional pelo Instituto Valéria Paschoal (UNICSUL). É nutricionista na clínica da Dra. Maria Fernanda Barca.
Endocrinologista: Dra. Maria Fernanda Barca
Doutora em Endocrinologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, Membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, Membro da The Endocrine Society, Estados Unidos e Membro da European Thyroid Association



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dicas para uma ceia de Natal mais saudável

Qual a melhor forma de substituir o açúcar na dieta