Instagram

Seguir por Email

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

AFTAS: COMO SE LIVRAR DESSAS FERIDINHAS TÃO DOLOROSAS


Também conhecida como úlcera bucal, o ferimento pode ser tratado com anti-inflamatórios, analgésicos e anestésicos

Estimativas apontam que cerca de um terço de toda a população sofre ou sofrerá com lesões bucais em algum momento da vida. Dentre os inchaços, manchas e feridas, a afta, é uma das que mais se destaca, ao lado do herpes simples e da candidíase oral (sapinho). Sem uma causa específica, as aftas podem ser um sintoma de baixa imunidade do organismo, desencadeadas por algum trauma oral local, por alguma deficiência nutricional, por fatores relacionados à herança genética ou sintoma de algum distúrbio, como por exemplo, doenças reumatológicas e a celíaca.

De coloração branca e envolvida por uma área avermelhada, as inflamações, conhecidas também como úlcera bucal, não são contagiosas e se manifestam na parte interna da boca, principalmente, na língua e na mucosa. Comuns e, às vezes recorrentes, as aftas são doloridas e incômodas, mas de fácil tratamento na maioria dos casos.

De acordo com Dra. Talita Poli Biason, gerente médica da unidade MIP do Aché, o tratamento dos episódios baseia-se no uso de medicamentos sintomáticos.  “Aftas podem se manifestar em qualquer pessoa, embora alguns fatores como idade, utilização de determinados medicamentos, histórico familiar, estresse e fumo propiciam o aparecimento das feridas”, explica.

Algumas vezes, podem surgir várias lesões ao mesmo tempo. “Nesses casos, soma-se ao tratamento cuidados com a alimentação e a higienização da boca. Trocar os alimentos ácidos, condimentados e quentes pelos frios é apropriado. Deixar pequenos pedaços de gelo derreter na boca pode ajudar no alívio das dores e fazer a escovação de forma suave com cremes dentais apropriados evita contaminação por bactérias e ajuda na cicatrização”, ressalta.

Parte do processo de recuperação e prevenção da doença é identificar as possíveis causas, como algumas deficiências do organismo, traumas orais repetidos, dentre outros. Por isso, a orientação médica ou de um dentista é importante. “Informar ao seu dentista ou médico sobre o aparecimento das lesões na boca é fundamental, para que sejam afastadas causas mais preocupantes ou que requeiram tratamento específico”, finaliza.


Nenhum comentário:

Postar um comentário