Into lança alerta sobre o risco de trombose


Doença ocorre com maior frequência depois de cirurgias das áreas ortopédica e oncológica

  O Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad (Into) intensificou as ações de prevenção à trombose entre o público em geral. A doença, que pode ser causada pelo entupimento de veias geralmente depois de cirurgia, corte ou mesmo pela falta de movimento, foi rastreada pelo Into entre pacientes que haviam saído da internação pós-procedimento cirúrgico. Do total de 7.560 cirurgias realizadas no ano passado, 151 dos pacientes retornaram ao Into em decorrência de trombose – ou seja, 2%.

  Para frear o aumento de casos, especialistas do Into lançaram um alerta para que os pacientes cumpram à risca todas as prescrições médicas depois de voltar para casa. O material educativo começou a ser distribuído neste mês de agosto para o público que circula diariamente pelo Instituto – 10 mil pessoas, entre pacientes, acompanhantes, visitantes e funcionários. Depois de cruzar os dados das internações e rastrear o problema, o Into realizou em julho uma campanha de conscientização e preparou o corpo funcional para tratar com ainda mais ênfase o assunto entre pacientes e acompanhantes durante a internação.

  “Trombose venosa é um problema infelizmente frequente depois de cirurgias ortopédicas e oncológicas, em especial. Por isso, é fundamental que os pacientes cumpram a prescrição de medicamentos mesmo que seja por longos períodos”, alerta o diretor do Into, João Matheus Guimarães. “As orientações sobre a prática de exercícios também devem ser todos os dias observadas para agilizar ao máximo a recuperação pós-cirúrgica e evitar a doença”.

  Os pacientes submetidos a cirurgias de joelho, quadril e trauma (como fraturas) são o principal foco de preocupações do especialista. Essas três subespecialidades cirúrgicas corresponderam a 80% dos casos verificados no ano passado em pacientes que retornaram ao Into depois de operados. O percentual de ocorrência de trombose foi de 4,7% em pacientes submetidos a cirurgia de joelho, de 2,9% nos casos de cirurgia de trauma e de 2,8% nos de cirurgia de quadril. O rastreamento e ações de prevenção à trombose integram o Programa Nacional de Segurança do Paciente.

  A trombose que pode ocorrer após uma cirurgia ortopédica é geralmente localizada nas pernas, provocando entupimento da veia, causando dor e inchaço. Às vezes coágulos podem se soltar, viajando pelo sangue até ‘encalhar’ no pulmão, o que é chamado de embolia pulmonar. Essa condição, que provoca uma súbita falta de ar, pode ser bastante grave e exige atendimento imediato.


Como Prevenir
1 - Manter-se em movimento, se possível, fazer atividades físicas rotineiramente.

 
2 - Ingerir bastante líquido.
3 - Procure sempre tirar dúvidas em relação a este assunto com um profissional de saúde.

4 - Caso você tenha que fazer algum tratamento ou tomar algum medicamento, como prevenção de trombose, não fique com dúvidas e pergunte sempre.
Principais sintomas do paciente que desenvolve coágulo sanguíneo
Uma dor diferente da dor da cirurgia
- Vermelhidão ao longo da perna (que aparece de repente ou inchaço que está piorando
- Inchaço na perna (que apareceu de repente ou inchaço que está piorando
- Aumento da temperatura (calor) da perna que está doendo
- Respiração curta e rápida e palpitações, podendo acontecer algum desmaio
- Tosse com sangue 
Dor no peito ou nas costas (que não é comum)

O que pode reduzir os riscos:
Evitar o aumento do peso corporal
- Movimentar-se ao máximo no dia, respeitando as limitações orientadas pela equipe de saúde
- Realizar exercícios recomendados pela equipe de saúde
- Parar de fumar
- Ingerir líquidos (cerca de 2 litros/dia)
- Seguir à risca as instruções dadas sobre a medicação preventiva


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gosta de abacaxi? Saiba quais são os benefícios da fruta para o organismo

A vida pede atitude. Movimente-se