29/10 é o Dia Mundial de Combate ao AVC


 
















          O AVC, popularmente conhecido como derrame, é a principal causa de morte no Brasil e de incapacidade no mundo. De acordo com dados da Academia Brasileira de Neurologia (ABN), a cada cinco minutos um brasileiro é vítima da doença, contabilizando 100 mil mortes ao ano. O quadro coloca o Brasil como um dos países com maiores taxas de prevalência e mortalidade relacionadas à doença. Por isso, uma parceria da ONG Rede Brasil AVC, ABN, Sociedade Brasileira de Doenças Cerebrovasculares e Associação Brasil AVC com a World Stroke Organization e o Ministério da Saúde resultou em uma importante campanha nacional: “1 em 6: Eu me importo”.
              A campanha acontece no Brasil desde 2010 e, neste ano, as ações contam com uma camiseta e uma pulseirinha e estão focadas na educação sobre fatores de risco, sinais de alerta e a urgência do tratamento, além de estimular a conscientização sobre o cuidado pós-AVC. Entre as iniciativas, estão mutirões que serão realizados em todo o país para estimular a prevenção e o diagnóstico precoce.
            A campanha conta com uma pulseirinha azul, símbolo internacional, que está sendo vendida por um valor simbólico. O dinheiro arrecadado será doado à ONG Rede Brasil AVC para a realização de campanhas populacionais. 

Sobre o AVC

*Uma em cada seis pessoas no mundo terá um AVC em algum momento da vida, de acordo com estimativa da Organização Mundial de AVC.
*Cerca de um quarto de todos os pacientes morre após o primeiro mês.
*De cada dez pessoas que sofrem AVC, cinco morrem depois de um ano.
*O AVC pode afetar a memória, o raciocínio e os processos emocionais, além de causar paralisias, dor, perda de capacidade de fala e entendimento.
*Os fatores de risco mais determinantes para o AVC são hipertensão, diabetes,  colesterol elevado, fumo e fibrilação atrial.
*O índice de mortalidade é duas vezes maior em indivíduos com fibrilação atrial.
*75% das vítimas de AVC com fibrilação atrial ficam severamente dependentes de terceiros, contra 15% em indivíduos com ritmo sinusal.
*A prevalência da fibrilação atrial aumenta com a idade.
*No Brasil, há 1,5 milhão de pessoas com fibrilação atrial.

 
SINTOMAS – Popularmente conhecido como derrame, o AVC atinge 16 milhões de pessoas no mundo a cada ano. Destes, seis milhões morrem – ou seja, 38%. Os sintomas mais comuns do Acidente Vascular Cerebral são a perda de força muscular de um lado do corpo, fala enrolada, desvio da boca para um lado do rosto, sensação de formigamento no braço, dores de cabeça súbita ou intensa, tontura, náusea e vômito.
 
Em casos de identificação desses sinais, o Ministério da Saúde recomenda a chamada urgente do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), pelo número 192. “Em caso de AVC ou qualquer outra urgência, o atendimento rápido pode minimizar o risco de morte e/ou seqüelas”, afirma Paulo de Tarso Abrahão, coordenador de Urgência e Emergência do Ministério da Saúde.
 
A doença ocorre devido à alteração na circulação cerebral. No AVC isquêmico há a obstrução de um vaso sanguíneo cerebral, levando à diminuição da circulação em determinada região do cérebro. No hemorrágico, acontece a ruptura de um vaso sanguíneo, com sangramento dentro do cérebro. Os principais fatores de risco são a hipertensão, o diabetes, o colesterol elevado e o tabagismo.
 
Programação das ações em São Paulo - SP

Data: 26/10, das 8 às 17 horas
Local: Metrô da Sé
O que: Ações de avaliação de pressão arterial e orientação aos pacientes

Data: 27/10, das 9 às 14 horas
Local: Parque do Ibirapuera
O que: Ações de avaliação de pressão arterial e orientação aos pacientes

Data: 27/10, das 9 às 17 horas
Local: Estação de Metrô da Cidade de São Paulo
O que: Mutirão preventivo e instrutivo

   

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dicas para uma ceia de Natal mais saudável

Qual a melhor forma de substituir o açúcar na dieta