Escola de Campinas introduz cardápio especial no lanche








Preocupados com a obesidade infantil, escola introduz cardápio especial, elaborado por nutricionista



A escola bilíngue Maple Bear, que em 2011 abriu suas portas em Campinas, São Paulo, tem como uma de suas propostas estimular os alunos a terem uma alimentação correta. Pensando nisso, foi elaborado um cardápio baseado, principalmente, nos cuidados para evitar a obesidade infantil, que, segundo dados da Sociedade de Pediatria de São Paulo, já atinge 10% das crianças brasileiras, e 64 mil crianças e adolescentes em Campinas, de acordo com levantamento da Secretaria Municipal de Saúde, realizado entre 2007 e 2009. A estimativa aponta que 25% das 257,4 mil crianças e jovens de 2 a 18 anos da cidade estão acim a do peso considerado saudável.

Na unidade escolar não há cantina e as crianças são aconselhadas a não levarem de casa qualquer tipo de alimento ou bebida. A iniciativa tem como principal objetivo, deixar os alimentos industrializados fora do alcance dos alunos. Para isso, a própria escola fornece um lanche saudável composto por uma fruta, uma proteína e um carboidrato. Um dos cardápios da semana inclui meia banana, um pão de leite com queijo branco e um suco de melancia. "Não há venda de salgadinhos, doces e guloseimas, e tentamos de todas as formas possíveis instruir os alunos para que não tragam esse tipo de alimento de casa, para que eles se habituem com a alimentação da própria escola", diz a nutricionista Bruna Galdiano, que elaborou o cardápio da Maple Bear. O mesmo vale para refrigerantes, vetados até nas festinhas de aniversário realizadas no ambiente escolar, dando preferência aos sucos naturais.


Cardápio
A elaboração do cardápio foi feita a partir de um formulário respondido pelos pais a respeito da alimentação oferecida na casa de cada aluno. As questões abordavam desde o período de amamentação, hábitos dos pais, irmãos, alergias e preferências. A partir dessas informações foram desenvolvidos os cardápios que visam suprir todas as necessidades nutricionais da criança.

De acordo com a nutricionista, uma dieta saudável para crianças de 1 a 3 anos inclui seis refeições ao dia: café da manhã, lanche escolar, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia, de preferência sempre no mesmo horário, em uma média de 1.300 calorias diárias, distribuídas em 15% de proteínas, 59% de carboidratos e 26% de lipídios. É consenso entre os especialistas em nutrição infantil que o lanche escolar deve suprir entre 15% e 20% das necessidades nutricionais diárias.

Bruna destaca também os benefícios que alguns alimentos trazem à saúde das crianças como, por exemplo, a alface, que ajuda no sono tranquilo, o que não significa sonolência, e ainda auxilia nos transtornos digestivos como diabetes e prisão de ventre; o mel, fonte natural de energia; a banana, energética, de fácil digestão, rica em nutrientes que ajuda no desenvolvimento muscular; a melancia ou o melão que funcionam como calmante para crianças muito ativas, são diuréticos e têm propriedades antioxidantes e anticancerígenas; e por fim, a aveia, que auxilia no funcionamento do intestino, reduz e previne o acúmulo de LDL (colesterol ruim) na idade adulta.

No caso dos sucos, as frutas passam por multiprocessadores para que não percam vitaminas e nutrientes. Caso seja necessário adoçar, a opção é açúcar mascavo ou mel.

Já os alimentos são visualmente atraentes e servidos em tamanhos pequenos para que a criança se sinta capaz e estimulada a comer sozinha, podendo sempre que possível, usar as mãos em vez de talheres. A coordenadora acadêmica da Maple Bear, Erica Moreira Ferreira, conta que a escola prepara emocional e psicologicamente as crianças para o momento da refeição. "Queremos que a criança se sinta confortável e também usamos a música e apelos visuais como estímulo na apresentação do lanche", diz ela. Os alimentos são servidos em formatos de bichinhos, estrelas e demais imagens para atrair os pequenos.








Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dicas para uma ceia de Natal mais saudável

Qual a melhor forma de substituir o açúcar na dieta