Dieta equilibrada turbina o metabolismo e acelera a queima de calorias


Nutricionista do HCor orienta como fazer mudanças simples no estilo de vida que podem alterar a maneira como o organismo processa e armazena as calorias; fracionar os alimentos em seis pequenas refeições diárias é o primeiro passo 

Quando a alimentação equilibrada e a rotina de exercícios não surtem efeitos na balança para dar adeus àqueles quilinhos a mais, é sinal de que está na hora de olhar para o funcionamento do metabolismo. Emagrecer depende não só dos alimentos consumidos, mas de como o organismo queima as calorias e absorve os nutrientes. Quanto mais rápido e eficaz for o sistema metabólico, mais fácil será afinar as medidas.

O principal responsável pela manutenção do peso corporal é o balanço energético, ou seja, o equilíbrio entre a energia gasta pelo corpo e a ingerida, determinada basicamente pelo metabolismo de repouso, também chamado de basal, além das atividades realizadas diariamente.

Este tipo de metabolismo corresponde ao gasto necessário para manter as funções vitais, como o batimento cardíaco, por exemplo, e é influenciado pela genética e por fatores modificáveis, como a quantidade de massa muscular do corpo.

De acordo com a nutricionista do IP HCor (Instituto de Pesquisa do Hospital do Coração), em São Paulo, Jacqueline Silva, com pequenos ajustes no dia a dia, é possível prevenir e, pelo menos em parte, remediar o ganho de peso para acabar de vez com a eterna briga com a balança. “Metabolismo é a maneira como o organismo estoca e queima as gordurinhas extras. Embora a genética seja responsável por até 50% do ritmo metabólico, algumas mudanças no dia a dia, e aqui entram a prática de atividade física, a alimentação equilibrada e até a qualidade do sono, incentivam o gasto energético”, explica.

Mais por menos
Ao longo do dia, a nutricionista orienta a fracionar os alimentos em seis pequenas refeições. Dessa forma, o organismo vai perceber que não ficará tanto tempo sem receber comida e, por isso, não precisará estocar calorias. “A quantidade consumida faz toda diferença. As porções estão nas mãos, por exemplo: uma porção de alimento equivale a um punho fechado. O filé de frango ou peixe deve ter o tamanho da mão. Já as carnes vermelhas devem ser um pouco menor, do tamanho da palma da mão”.


Os alimentos
Carboidratos:
essenciais para um metabolismo rápido, pois fornecem combustível aos músculos. Dê preferência aqueles de baixo índice glicêmico, como grãos integrais, legumes, frutas e verduras.

Proteínas:
ajudam a formar músculos, que consomem calorias mais rapidamente. Lagarto, patinho, peixe, frango, ricota, cottage, ovo, soja e derivados são ótimas opções.

Gorduras:
desde que sejam as “do bem”, como as que estão presentes na castanha-do-pará, de caju, amêndoas, nozes, azeite extravirgem, semente de abóbora, gergelim e girassol, devem ser consumidas, pois fazem com que a energia seja gasta de forma homogênea.  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

5 dicas de alimentação para 2017

Por que minhas dietas não funcionam?