Arnold Schwarzenegger se despede da 4a edição do Arnold Classic Brasil

Divulgação
Astro garante que, uma vez mais, marcará presença no Arnold Classic, que terá a quinta edição no próximo ano
 "Hasta la vista baby!" Assim Arnold Schwarzenegger se despediu da quarta edição do Arnold Classic Brasil, para, em seguida, arrematar: "I´ll be back!". O astro usou as duas mais famosas frases da série ‘O Exterminador do Futuro’ para garantir que voltará em 2017 para a quinta edição do evento que leva o seu nome e já se tornou tradição no país. Em 2016, a competição multiesportiva e maior feira de nutrição da América Latina recebeu mais de 80 mil visitantes entre 1 a 3 de abril. Antes de voltar para os Estados Unidos, neste domingo (3), à noite, o ex-governador da Califórnia cumpriu agenda cheia na capital carioca.

Schwarzenegger começou o dia como muitos cariocas, na praia. Ele acompanhou jogos de frescobol em Copacabana e fez a festa das pessoas que estavam na orla para se bronzear ou fazer atividade física. Na sequência, seguiu direto para o Riocentro a fim de acompanhar mais competições - como o bodybuilding amador, quando entregou premiação para os campeões de algumas categorias -, falar aos participantes do Conference e participar do Arnold Showcase, uma entrevista no estilo bate-papo mediada pelo apresentador Marcos Mion e com a presença do público, jornalistas, empresários e convidados especiais, como o lutador de MMA José Aldo e as musas fitness Gracyanne Barbosa e Karina Bacchi.

Na conversa de cerca de meia hora, o eterno "Exterminador do Futuro" dos cinemas respondeu a perguntas sobre sua rotina de exercícios, falou da sua experiência como governador da Califórnia, contou particularidades da sua vida de atleta, sua experiência no exército e como saiu de uma pequena cidade da Áustria (Thal) para o estrelato em Hollywood Schwarzenegger contou que antes de começar a trabalhar neste domingo, ou seja, antes de ir para a praia ver o frescobol, onde chegou pouco depois das 8h, já havia praticado atividade física. "Já fiz minha rotina de exercícios diários, bem cedo. Andei por uma hora de bicicleta pela orla de Copacabana. Estava vazia, o dia muito bonito, ensolarado! Sempre acho que essa é a melhor forma de se conhecer e fazer um tour pela cidade, de bicicleta. Seja essa cidade Tóquio, Nova York ou Rio de Janeiro. Diariamente, gosto de pedalar durante uma hora antes do treino com pesos", contou o ex-governador da Califórnia.

Questionado sobre seu envolvimento com a Expo, Arnold foi taxativo. "Total. Eu gosto de viver todos os detalhes, Ontem, por exemplo (sábado à noite), durante a competição de Bodybuilding, vi alguns atletas sem o óleo nas costas (usado para realçar a definição muscular) e pensei: 'isso não é legal, com a luz do palco, o efeito não vai ficar bonito'. E fui pessoalmente ajudá-los a passar o óleo nas costas. Vejo as pessoas trabalhando na montagem das arenas, da estrutura do Arnold Classic e, se precisar, ajudo. Sou um cara prático. Eu me envolvo e me divirto com tudo isso".

Inspiração - Aos 68 anos, Schwarzenegger deu depoimentos que motivaram os convidados presentes e chegou a ser ovacionado ao contar como o fisiculturismo entrou na sua vida. "Há 50 anos eu fiz uma opção: ser saudável. Fui campeão de fisiculturismo e pensei que era hora de levar essa bandeira para outros lugares, de levantar peso não só para mim, mas para as pessoas me ouvirem. Hoje, temos o Arnold Classic em todos os continentes. Contamos com 8.500 atletas e temos 37 esportes diferentes na feira. É um trabalho árduo, mas tenho a sorte de fazer grandes parcerias, como a feita com a Ana Paula e Luiz Felipe no Brasil (Ana Paula Leal, da Savaget Promoções, e Luiz Felipe Bonilha, da Excalibur Congresso e Eventos, organizadores do Arnold Classic Brasil).

Arnold disse aos participantes que não é preciso ter muito dinheiro para levar uma vida saudável e se exercitar. "Eu morava em uma cidade pequena na Áustria e vi uma revista que tinha uma foto do culturista Reg Park atuando no cinema como Hércules e pensei: 'É isso o que quero para a minha vida'. Então, aos 14 anos eu já tinha um plano. Comecei a frequentar uma academia para ser como meus ídolos do fisiculturismo como Reg Park, Steve Reeves e Johnny Weissmuller. Aos 19 anos, fui o segundo colocado no Concurso Mister Universo. Aos 20, fui o campeão mais novo da mesma competição. Nunca desista do que você quer, do que você sonha, mas trabalhe para que aconteça. Não existe sucesso sem muito trabalho. E não ouça as pessoas que dizem que você não vai conseguir. Eu só cheguei até aqui porque não dei ouvido a essas pessoas", disse o astro, levantando a plateia.

Treino. Treino. Treino... - Perguntado como consegue arrumar tempo para treinar, apesar das várias atribuições diárias como empresário e ator, Schwarzenegger foi firme. "Convivi com Ronald Regan e George Bush (ex-presidentes dos Estados Unidos) e eles malhavam todos os dias antes de começar a trabalhar. Acordavam às 4h, 4h30 da manhã para treinar. Eu te pergunto: 'Se o presidente dos Estados Unidos tem tempo para treinar, como você pode não ter?’. Vamos imaginar. Você só precisa de 6 horas de sono por dia. Ainda sobram 18 horas. Você pode treinar por 5 horas, fazer uma faculdade a inda sobram 9 horas para ler, aprender uma língua, ver televisão... Mas ver televisão, só se for para assistir aos meus filmes", brincou o astro de "Predador" e "Conan, o Bárbaro". "Não desperdice seu tempo, você não precisa dormir 10 horas, por exemplo. Faça um planejamento. Tenho certeza que o treino entrará na sua vida para sempre", completou.

Arnold falou da importância da suplementação, mas ressaltou que o mais importante é a força de vontade. "Quando eu estava no Exército, acampávamos no meio do mato com barracas, um tanque de guerra e cavalos. Quando todos iam dormir, alguns de nós pegavam peças do tanque para treinar durante duas horas. Improvisávamos atividades em árvores, dávamos um jeito. Há quarenta anos, quase não havia academias em hotéis. Hoje você consegue o básico em qualquer hotel pequeno, para poder treinar. Faça sua atitude ser maior que as desculpas", ressaltou, antes de lembrar de um dos maiores campeões mundiais de boxe da história.

"Perguntaram uma vez a Muhammad Ali quantos abdominais ele fazia. Ele disse que não contava. Que só parava quando a dor era insuportável. É como tem de ser. A suplementação é importante, mas o mais importante é você saber o que coloca dentro do seu corpo. Alimente-se de coisas naturais, orgânicas e frescas. Coma carne, vegetais e frutas. E conheça o seu corpo. Saiba do que ele precisa, quais os seus pontos fortes e fracos. Isso vale para o treinamento. Eu tinha coxas pequenas, sempre soube disso, e trabalhava dobrado para mudar isso. Você cresce em cima da dor. É depois da décima repetição que você ganha", finalizou.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gosta de abacaxi? Saiba quais são os benefícios da fruta para o organismo

A vida pede atitude. Movimente-se